Pular para o conteúdo principal


DERRETENDO EM LÁGRIMAS E CHOCOLATES

POR FAVOR, USE OS HEADPHONES
(SEMISONIC - SUNSHINE AND CHOCOLATE)


- Não entendo você – ela disse, atordoada com a porrada que havia acabado de levar.
- Não entende o quê? Que eu não te quero mais? Cansei porra, qual o problema com isso?
- Qual o problema? Qual o problema? – gritou – O problema, seu filho da puta, é que você não pode e não tem o direito de entrar na porra da minha vida da forma como entrou, mergulhando de cabeça nela, me fazendo acreditar numa série de coisas e agora, sem mais nem menos, você acorda e diz “tchau”, “valeu”, “é isso aí”, “nos encontramos na vida”. Vá se foder otário. Você pensa que pode fazer o que bem entender? – berrou, tentando com todas as suas forças não chorar. Ao menos na frente dele.
- Dan, eu posso ter feito uma porrada de bobagens e ter agido como um tremendo um filho da puta. Mas eu quero que você entenda que eu não fiz nada disso para magoar você. Eu realmente acreditei que poderíamos dar certo. Muito certo.
- É? Verdade? – ela disse com sarcasmo – Vai me dizer que tudo mudou do nada, que eu sou legal, mas não sou a pessoa certa, que eu não sou a mulher que você sonhou? Vai dizer isso?
- Não – ele respondeu, seco e triste – Vou apenas dizer que não te amo mais. Apenas isso – disse, abrindo a porta e saindo da casa.

Ela olhou com tristeza a maldita porta amarela. Seus olhos encheram-se de lágrimas e ela começou a gritar de dor. Passou o resto da noite acordada e comendo chocolates e chorando e desejando que o dia nascesse logo. Mas, no fundo, tudo o que ela queria era saber porque na sua vida tudo acontecia sempre tão tarde. Tarde demais...



Sunshine and Chocolate
(Semisonic)

All my life I've been looking for
The perfect mate
And when I finally found the one
It was almost too late
Underneath the auditorium
She showed me why
I would have waited all of my life
For somebody like

Sunshine and chocolate all over me
In my mouth and on my tree
Round my body under my hat
Sunshine and chocolate just... like... that

I was alone when I woke up
And found the note
It said you surely know how to fuck
But I gotta go
I hope you find someone to take care of
And give yourself to
And until I get to kiss you again I wish you

Sunshine and chocolate every day
In your work and in your play
In your mouth and down your back
I wish you, I wish you, I wish you that
Sunshine and chocolate all over you
Over everything you do
On your body and in your mind
Sunshine, chocolate, everything fine

Now my eyes are open wide
As I travel around
Maybe some summer day I'll find
Her face in the crowd singing...

Sunshine and chocolate everyday
In your work and in your play
In your mouth and down your back
I wish you, I wish you, I wish you that
Sunshine and chocolate all over you
Over everything you do
On your body and in your mind
Sunshine, chocolate, everything fine

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

NUCA

Ela entrava em transe. Transe total. O lábio de Fernanda em sua nuca a deixava completamente feliz. Muito feliz. Muito feliz. Não existiam mais as más notícias. Não. Definitivamente não. Sem contas, protestos, cobranças ou ligações indesejadas. Nada. Nada a perturbar. Existiam apenas os lábios de Fernanda em sua nuca. Lábios deliciosos e densos. Intensos. Sempre pintados de uva. Sempre lindos. E os arrepios. Muitos arrepios. E ela entrava em transe. Transe total. O lábio de Fernanda em sua nuca a deixava completamente feliz. Muito feliz. Muito feliz. Não existiam mais as más notícias. Não. Defitivamente não. Havia um aroma de uva no ar. Um perfume. E palavras sussuradas na dose certa. Na dose certa. E ela entrava em transe. Transe total. O lábio de Fernanda em sua nuca a deixava completamente feliz. Muito feliz. E molhada. E o abraço que vinha depois era como um gatilho para uma boa noite. Toques. Reflexos. Seios.

Olhos Verdes

leia e ouça: ride || polar bear “ ... she knew she could fly like a bird  but when she said ‘please raise the roof higher' nobody heard they never noticed a word the light bulbs burn,  her fingers will learn … ” E, do fundo do armário, como mágica, aquele pedaço de papel surgiu no meio de meias ímpares e roupas amassadas. Simplesmente surgiu. E, ela, surpresa e de primeira, conseguiu conter as lágrimas ao segurar aquele pequeno pedaço de papel verde água em suas mãos pequenas e delicadas.  Frágeis. Suadas.  Geladas.  Aflitas. Nervosas. Tristes. Ela, sim, conteve as lágrimas e lembrou do exato momento em que tocou pela primeira vez aquele pedaço de papel. A tristeza passou por UM segundo e ela sorriu da beleza daquele momento. Esqueceu o tremor das mãos e, firme, segurou o papel para seus olhos esmeralda dançarem  e dançarem e dançarem novamente por toda a extensão daquele pedacinho de papel. Correu e correu os olhos pelo desenho de palavras à sua frente. Linda combinação de vogais,

Carvão

leia a ouça: stray fossa || better late than E lá estavam os dois sentados na sala de estar da casa dela. Dois. Os dois. Sempre os dois. Amor. Eles… - Desenha algo para mim? Ele pediu, doce e inseguro. Ela sorriu linda e disse o encarando com seus olhos verdes, grandes e intensos – Oras, não sei desenhar. Você sabe disso. Não sei rabiscar nadinha. Tenho outras habilidades, mas não o desenho. Ele devolveu o sorriso, sorriso agora ainda mais intenso e respondeu - Ah, por favor, tente desenhar qualquer coisa. Qualquer rabisco. Ela o encarou divina com seu olhar esmeralda e respondeu decidida - Claro. Desenho. O que o senhor sedutor em pedidos impossíveis gostaria que eu rabisque? Ele a olhou feliz por vários instantes e disse - O que você quiser. O que te inspira. Qualquer coisa. Qualquer coisa…. desenhe o meu amor por você… - disse, e essa afirmação última em um tom quase inaudível. Ela percebeu o som das palavras quase não ditas, o encar