8.11.18

OS DEDOS E A NEVE


E ela queria os seus dedos.
Todos.
E a neve.
Os dedos.
Longos.
Lentos.
Úmidos.
Todos os dias.
Todos os dias.
E a neve.
Fofa.
Lenta.
Úmida.
Todos os dias.
Todos os dias.
E a língua, óbvio.
Ele queria muita língua.
Muita língua.
Muitas misturas e dobraduras.
Muitos dedos.
Muitos dedos.
Muita neve.
O motivo?
Apenas paixão, desejo e tesão.
Precisa de mais?
Não...
Apenas um aquecedor e um lençol de seda.
Apena isso.
E dedos.
Muitos dedos...
Mais de vinte...



Nenhum comentário: