Pular para o conteúdo principal

SHOWS


E a cidade estava repleta de shows naquele fim de semana.
Repleta, repleta de shows.
Repleta.
Morrissey, New Order, Soul Asylum e o caralho a quatro.
Muitos shows.
Tudo o que você pode e poderia imaginar.
Tudo.
Mas não havia grana e nem ingressos.
Nem neve.
Muito menos neve.
Nada.
Aqui não é a Islandia.
Ainda...
Ainda não...
Mas havia calor.
Mormaço, desejo e tesão.
Suor, lágrimas e chama.
Chama.
Uma chama crescendo e um fogo.
Um fogo muito grande.
Aquecendo o que era para ser aquecido.
Ser muito aquecido.
Naquele apartamento vagabundo em que eles moravam havia dedos e desejos e lábios e delírios e copos americanos repletos de vodka barata.
A pior das vodkas.
A melhor das vontades.
Muitas vontades.
Muitas vontades.
Vontade de esquecer.
Tudo.
Apenas tudo.
E a cidade estava repleta de shows naquele fim de semana.
Repleta, repleta de shows.
Repleta de desejos.
Mas repleta de shows.
Mas o maior aconteceria naquela cama.
Dois corpos nus e aquecidos.
Cheiros.
Odores.
Suores.
Delírios.
Toques.
Dedos.
Saliva.
Goles.
Beijos.
Calcinhas e cuecas á parte.
Pelos e arrepios.
Cigarros e tudo o mais.
E a cidade estava repleta de shows naquele fim de semana.
Repleta, repleta de shows.
Repleta.
Mas o melhor acontecia entre eles.
Apenas entre eles..
Entre eles...
Saliva, lábios e beijos.
Muitos.
Deliciosos.
Apenas deles.
E disso não dependia grana nenhuma.
Grana nenhuma.



Comentários

5x0i33umys disse…
Unlike somebody with a meals dependancy, you don’t want the thing of your dependancy to outlive. You merely must methods to|learn to} develop a wholesome and balanced relationship with money. For the most part, playing in moderation is a socially acceptable behavior. If left untreated, a playing dependancy can negatively affect on} your monetary scenario, relationships, and different aspects of your life. Many of these playing operations are outstanding sponsors of California 원 엑스 벳 media. Ads for tribal casinos are ubiquitous on the Internet, radio, and TV—especially broadcasts of the state’s most popular sports activities groups.

Postagens mais visitadas deste blog

...e de todas as coisas mais feias e mais belas do mundo, a única que a fazia sorrir era o mar, pois o reflexo no espelho causava angústia e vontade de chorar... e ele disse "eu não sei fazer poesia, mas que foda". ela concordou com a cabeça e lhe deu um beijo fabuloso, formidável, maravilhoso. ela chorou, sem saber se de felicidade ou tristeza... apenas sem saber...

NÃO SÃO TEMPOS COMO QUAISQUER OUTROS

OUÇA:  spang sisters || king prawn the 1st Ela jogou o livro de lado irritada, ajeitou os cabelos tortos pela cama e levantou-se. Aflita. Ela estava aflita e sem paciência. Nenhuma paciência. Andou de um lado ao outro do quarto procurando algo para pensar, algo para tocar, algo para lembrar, algo para fazer. Não pensou em nada ou, infelizmente, pensou sim tão logo percebeu o baú cor de palha encostado junto a parede. Lembrou das dezenas de fotos e bilhetes e bobagens que estavam ali guardadas. Pensou em abri-lo e considerou que esta seria uma boa ideia. Aproximou-se do baú e percebeu o que estava prestes a fazer. Parou brusca e riu da própria tolice em achar que as velhas lembranças podiam ajudar, ainda que em desespero. Não, nada que lembrasse aquela pessoa poderia ser bom naquele momento - considerou. Culpou o tédio pela burrice. Voltou a si. Sorriu e agradeceu a sei lá quem por ter voltado ao seu juízo normal a tempo. Saiu do quarto. Foi em direção a

Brindando Palavras Repetidas

  leia e ouça: richard hawley || coles corner - Você é repetitivo. Ele a olhou com uma surpresa muda,  - Você é muito repetitivo - ela disse, certeira, sabendo que o havia atingido em seu ponto mais fraco, mais vulnerável, mais dolorido. Não sorriu. Ele a olhou com certa surpresa sabendo que, no fundo, ela estava certa - Como assim? - perguntou, querendo ter certeza. - Repetitivo. Repetitivo. Você usa as palavras de forma inconsequente e repete sempre as mesmas coisas. Faz isso o tempo todo. - Faço? - ele disfarçou. Ela então sorriu levemente - Claro que faz. Mas o que me deixa ainda mais fascinada é esta sua cara de pau. Você sabe que é assim, desse modo, desse jeito e ainda assim continua nesta direção. Ele fingiu indignação, mas por puro orgulho. Ela estava absolutamente certa. Ele tomou um gole do que estava bebendo e ficou quieto, esperando a próxima porrada. - Não? Você não sabe disso? - ela insistiu. - Talvez - admitiu, sem admitir. - Então, por que você não tenta mudar? - Você

Vinte

  leia e ouça: anthony lazaro || someone like you - Ei, hoje não é o último dia da primavera, início do verão? – ele perguntou, enquanto observava o sol morrer pela janela, quieto, belo, brilhante. Precisamos celebrar - concluiu. - Que dia é hoje? – ela perguntou. - Dia 20 – ele respondeu, enquanto deixava a paisagem do pôr do sol para lá e se concentrava em um casal de velhinhos fantásticos que andavam de mãos dadas pela calçada. - Não. Amanhã é o último dia da primavera, então – ela disse, com um sorriso adorável indo em sua direção e com aqueles olhos verdes tão e tão e tão e tão devastadores. Linda. Apenas ela. Ele sorriu e emendou - Eu detesto quando a primavera termina. Eu simplesmente detesto quando as coisas, no geral, terminam. Eu não gosto disso. Não gosto do fim das coisas, não gosto de encerramentos. Não gosto de fins. Eu sempre choro nas cerimônias de encerramento das olimpíadas, copa, essas coisas – disse, com um sorriso. Lindo, por sinal, e prossegui